“Enganosa é a graça, e vã, a formosura, mas a mulher que teme ao Senhor, essa será louvada.”
O tempo não apaga as injustiças da História, nunca é demais recordar que no dia 8 de Março de 1857, as operárias têxteis de uma fábrica de Nova Iorque entraram em greve, ocupando a fábrica, para reivindicarem a redução de um horário de mais de 16 horas por dia para 10 horas. Estas operárias que, nas suas 16 horas, recebiam menos de um terço do salário dos homens, foram fechadas na fábrica onde, entretanto, deflagrara um incêndio, na seqüência do qual cerca de 130 mulheres viriam a morrer queimadas.
Em 1910, no 1º Congresso Internacional das Mulheres, na Dinamarca, foi decidido, em homenagem àquelas mulheres, comemorar o 8 de Março como “Dia Internacional da Mulher”. De então para cá, o movimento a favor da emancipação da mulher tem tomado forma, e em diversos lugares do mundo já é comemorado este dia.
O grande objetivo desde dia é chamar a atenção para o papel e dignidade da mulher, levando a uma tomada de consciência do seu valor enquanto pessoa, e perceber qual o seu papel na sociedade, contestando e revendo preconceitos e limitações que continuam a ser impostos à mulher.

Fonte: www.pibunai.org/pibunai/8/Default.asp?ID=969