Vivemos em uma sociedade triste, que habita em um universo maravilhoso. Há um contraste entre a natureza que nos acolhe e os semblantes tristes das pessoas. Até mesmo os programas humorísticos, que tentam transmitir alegria, são tristes. Os palhaços são tristes, as piadas que contam são tristes, as crianças são tristes e desconhecem a alegria de serem crianças. As famílias, oprimidas pela necessidade de sobrevivência, esqueceram a alegria da comunhão. O estar juntos à mesa e os saraus cederam lugar ao individualismo. As pessoas se alimentam em silêncio com os olhos grudados nos celulares e fisionomias tristes. Até mesmo a “solidão do velho”, diz o poeta, é triste. Devia ser alegre pela bênção da longevidade. A mídia só transmite notícias tristes; são pessoas fugindo das guerras assassinas, crianças abandonadas; gente, sem nome, sucumbindo no mar em buscar da liberdade. É o quadro triste de todos os dias. O medo do terrorismo gera tristeza. Não há alegria em alguém que sente prazer em ceifar vidas inocentes e desconhecidas. Caso houvesse alegria no coração do terrorista, do homicida, do traficante, do dependente químico, que dorme na calçada fria, as reações seriam diferentes. Onde há alegria não há choro, luto, sofrimento. A tristeza é fruto do pecado, da ausência de Deus no coração humano. A Bíblia traz mensagens de alegria ao coração triste. Seus convites são permeados de alegria verdadeira: a alegria da salvação.



“Com alegria tirareis águas das fontes da salvação” (Is 12.3). Fontes inesgotáveis que eliminam a tristeza gerada pelo pecado. Ao anunciar aos pastores o nascimento de Jesus, os anjos cantaram: “Eis que vos trago novas de grande alegria, nasceu o Salvador!” (Lc 2.10). Alegria que perdura no coração de todos aqueles que foram abençoados com a graça da salvação. A cada momento que um pecador se arrepende, Jesus diz: “Há alegria diante dos Anjos de Deus” (Lc 15.10). Os céus vivem em contínua alegria, pois são muitos os que, convencidos pelo Espírito Santo, se rendem a Jesus a cada dia. Uma das partes do saboroso fruto do Espírito Santo é a alegria, que está no céu e no coração do novo salvo. Alegria do próprio Espírito a colher o resultado de Sua ação no coração triste. Fomos criados para vivermos alegres. Toda natureza ao nosso redor é um perene convite à alegria. O cantar dos pássaros ao amanhecer revela-nos a alegria da natureza ao realizar o seu culto doméstico matinal. É a alegria da comunhão cristã, o sermos um em Cristo. A alegria gerada pela amizade dos que nos suportam e nos amam. Há razões sobejas em Provérbios 17.22, “O coração alegre serve de bom remédio”. “O coração alegre dá beleza ao rosto” (Pv 15.13). “Por isso, o coração alegre tem um banquete continuo” (Pv 15.15). A alegria oferece o melhor salão de beleza aos seus usuários Sem preço e hora marcada é possível usufruir o seu produto e ser feliz. “Jogue a tristeza fora” e passe a usar os produtos da verdadeira alegria. Alegre-se em Cristo. Sua vida deve ser a cada momento uma inesgotável fonte de alegria. Pois, a alegria do Senhor é a nossa força.