Ter pequenos grupos na igreja não significa que ela é multiplicadora. Ser Igreja Multiplicadora é experimentar os princípios bíblicos de crescimento.

A vida de ORAÇÃO precisa ser vista como necessária. Não podemos ver a oração como uma parte do culto, nem mesmo como um culto da agenda semanal da igreja. A oração precisa ser a vida da igreja. É preciso, portanto, ensinar como orar e motivar os irmãos sobre sua importância em todas as circunstâncias. Aprender a orar promove o crescimento exponencial.

A EVANGELIZAÇÃO DISCIPULADORA precisa ser vista como o centro da Grande Comissão. Isso significa ensinar verbalmente os mandamentos do Senhor, mas também ensinar como cumpri-los por meio da vida na vida. Ter todos os membros na vida discipular gera a verdadeira multiplicação.

A intencionalidade em PLANTAR NOVAS IGREJAS precisa ser transmitida. Igrejas que não plantam novas igrejas se angustiam na esterilidade. Pequenos Grupos Multiplicadores precisam ser iniciados em lugares estratégicos com a intenção de se tornarem novas igrejas.

É preciso criar uma estrutura de FORMAÇÃO DE LÍDERES. Uma igreja que não tem um momento regular de capacitação, a fim de transformar seus membros em líderes, não desfrutará da multiplicação.

É preciso se reunir no templo e de casa em casa. Ampliar a convivência dos irmãos, conduzindo-os às casas, permite que suas necessidades sejam descobertas, e também que sejam supridas. A comunhão experimentada na igreja que também se reúne nas casas, transmite a COMPAIXÃO E A GRAÇA do Senhor Jesus.

Sendo assim, implementar a visão de Igreja Multiplicadora vai além de criar pequenos grupos na igreja. É preciso uma intencionalidade do líder em levar sua igreja a experimentar todos os princípios na sua prática diária de vida.

Roosevelt Arantes

Missionário da JMN em Rezende/RJ