“Presentes em forma de tempo e amor são, com certeza, os ingredientes básicos de um verdadeiro ‘feliz Natal’”. (Peg Bracken)

Para que servem os votos de Natal?
Para nada!
Votos de Natal são como cumprimentos vazios na rua, são como desejos que não foram pensados, são como presentes que não foram adquiridos para ser entregues, são como embrulhos sem conteúdo.
A menos que você os faça valer, seus votos de Natal devem ser recolhidos antes mesmo de proferidos ou despachados.
Para que seu voto de Natal valha, medite sobre o significado do nascimento de Jesus, como magistralmente resumido na canção de Ralph Carmichael:

“Eu sei o sentido do natal,
pois na história tem o seu lugar.
Cristo veio para nos salvar.
(…)
Descobri então que Deus não vive longe lá no céu, sem se importar comigo.
Mas agora ao meu lado está”.

Para que seu voto de Natal tenha valor, agradeça a Deus pelo coração disposto de Maria, pela coragem dedicada de José, pela curiosidade obediente dos pastores de Belém, pelas mãos que prepararam a manjedoura que brilhou com a divindade, pela cruz onde foi apresentada a salvação ainda disponível para os que creem.
Para que seu voto de Natal aqueça corações, disponha-se a fazer algo para quem o ouve.
Para que seu voto de Natal seja um raio de luz, cante a mesma música que os anjos cantaram, não os gingles comerciais.
Para que seu voto de Natal se perpetue, viva os ideais de Jesus.


“E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai”. (João 1.14)


Reflexões “bom dia”
Pr. Israel Belo de Azevedo

Siga a CBP!