José é um ramo frutífero, ramo frutífero junto a uma fonte; seus caminhos se estendem sobre o muro” (Gn 49.22).

O mês de agosto é muito especial no calendário da denominação Batista, pois focaliza algumas celebrações de grande relevância, tem tudo a ver com família! No dia 01, domingo, celebramos o dia do Adolescente batista, bênçãos para o Reino de Deus; o segundo domingo é tradicional, quando prestamos homenagens àquele que nos deu vida, o pai, que junto com a esposa devem ser pilares e exemplo no lar. Os pais são muito importantes na vida equilibrada e coerentes dos filhos; o terceiro domingo é reservado para o jovem Batista, faixa etária fabulosa se estiver a serviço do Reino de Deus. A juventude, se bem vivida, é uma das mais belas experiências de vida! A maneira de viver a juventude vai influenciar a vida na idade adulta e a terceira idade. E no dia 25 (terça-feira) é celebrado o Dia do Embaixador do Rei, uma organização ligada a União Missionária de Homens Batistas do Brasil (UMHBB), celebrando 72 anos no Brasil.

O que essas datas têm em comum? Na sua maior parte é a força e o vigor da juventude, que nas palavras do autor de Eclesiastes, traz uma palavra de ânimo, mas também de exortação: “Jovem, aproveite a sua mocidade e seja feliz enquanto é moço. Faça tudo o que quiser e siga os desejos do seu coração. Mas lembre de uma coisa: Deus o julgará por tudo o que você fizer” (Ec 11.9).

Hoje escolhemos um personagem muito conhecido para lembrar a luta da juventude, os embates da vida, mas, também, a alegria das vitórias e realizações: José, o filho mais novo do patriarca Jacó (Israel). A saga de José está registrada nos capítulos 37 a 50 do livro de Gênesis. É um exemplo para a nossa juventude: uma vida de fé e confiança no Senhor desde a sua meninice. De sonhador, humilhado pelos irmãos, vendido como escravo, ele se vê no Egito, potência da época, e, novamente, passa por mais humilhações e tribulações. José tinha todos os motivos para viver desiludido, desconfiado e sem a alegria e até passar por uma depressão.

Mas tem algo diferente nesse jovem: sua fé fervorosa no Senhor das nossas vidas; aquele que diz: “Seja forte e corajoso, seja muito forte” (Josué 1.6,7); também diz: “No mundo vocês vão sofrer; mas tenham coragem. Eu venci o mundo” (Jo 16.33). E, assim, foi com o jovem José. Da prisão para o palácio tornou-se o segundo no reino de Faraó, o governador de todo o Egito. Em época de grande fome no mundo, os povos vinham ao Egito pedir socorro, inclusive os familiares de José. O final dessa história é belíssimo; uma história de reencontro, perdão e a grande capacidade de amar demonstra a grandeza do agora homem maduro, filho e pai exemplar, além do exemplo de vida.

Que a vida de José seja sempre uma inspiração para a geração atual e a futura. Um mês muito abençoado para todos nós!

Levir Perea Merlo, pastor, colaborador de OJB

Siga a CBP!