Segundo a tradição, quem criou o Dia dos Pais foi um jovem chamado Elmesu, na Babilônia, há mais de 4 mil anos. Ele teria esculpido, em argila, um cartão para seu pai. Em 1909, a norte-americana Sonora Louise Smart Dodd queria um dia especial para homenagear o pai, William Smart, um veterano da guerra civil que ficou viúvo, quando sua esposa teve o sexto bebê e ele criou, sozinho, os seis filhos,
em uma fazenda no Estado de Washington.
O primeiro Dia dos Pais foi comemorado em 19 de junho de 1910, em Spokane,Washington. A rosa foi escolhida como a flor oficial do evento. Os pais vivos deviam ser homenageados com rosas vermelhas e os falecidos com flores brancas. Pouco tempo depois, a comemoração já havia chegado a outras cidades americanas. Em 1972, Richard Nixon proclamou oficialmente o terceiro domingo de junho como Dia
dos Pais.
O pai brasileiro ganhou um dia especial a partir de 1953. A iniciativa partiu do Jornal “O Globo”, do Riode Janeiro, que se propôs a incentivar a celebração em família, baseado nos sentimentos e costumes cristãos. Primeiro foi instituído o dia 16 de agosto, mas, como o domingo era mais usado para as reuniões de família, a data foi transferida para o segundo domingo de agosto.
Em São Paulo, a data foi comemorada pela primeira vez em 1955, pelo Grupo das Emissoras Unidas, que reunia a “Folha de São Paulo”, a “TV Record”, a “Rádio Pan-americana” e a extinta “Rádio São Paulo”. O grupo organizou um grande show no antigo auditório da “TV Record” para marcar a data. Lá, foi premiado Natanael Domingos, o pai mais novo, de 16 anos; Silvio Ferrari, de 96 anos, como o pai mais velho; e Inácio da Silva Costa, de 67 anos, como o campeão em número de filhos, um total de 31. As gravadoras lançaram quatro discos em homenagem aos pais. O maior sucesso foi o baião “É
sempre papai”, com letra de Miguel Gustavo, interpretada por Jorge Veiga.
O Dia dos Pais foi contagiando todo o território brasileiro. Hoje, o Dia dos Pais é comemorado em muitos países. As datas variam: a Inglaterra e a Argentina comemoram a data no terceiro
domingo de junho. Na Itália e em Portugal, a homenagem acontece no dia 19 de março.
Na Austrália, no segundo domingo de setembro. E, na Rússia, no dia 23 de fevereiro.
O Dia dos Pais deve ser todo dia. Se você não tem mais o seu pai, lembre-se dele com o maior carinho, aproveite esta data especial e transforme-a no dia do perdão, do reconhecimento, da ternura e da saudade. Se você tem a alegria de abraçar o seu pai, faça-o com leveza e gratidão, demonstre seu amor, não economize
homenagens, afinal de contas, o tempo revela que se porventura os pais erraram na educação, foi devido ao descompasso “evolução-educação”. Lembre-se ainda que talvez o descompasso aí esteja e esta geração está surfando nessa onda. Amanhã eles vão comemorar o Dia dos Pais se aprender com você.
O Dia dos Pais é um dia de ação de graças!
Extraído: O Jornal Batista