Que o divórcio é uma realidade na sociedade  brasileira e, infelizmente em nossas igrejas, ninguém duvida mais. O divórcio, além de ser uma triste realidade, cresce de forma epidêmica. Sem desejar ser uma “receita de bolo”, creio que faríamos bem colocar as sugestões abaixo em prática:

Encarem o casamento como uma aliança, um pacto. Casamento não é, do ponto de vista de Deus, um contrato, mas uma aliança, um pacto que está bem acima do que um simples contrato. Quando um casal assume o casamento como um pacto, cria no DNA do mesmo uma resistência significativa contra o divórcio.

Cuidem para não se distanciar no cotidiano da vida conjugal. Cerca de 80% dos divórcios acontecem devido a perda desse contato diário. Quando percebem, um está tão longe do outro que o divórcio é apenas o último passo. Portanto, aquele beijinho, aquele andar de mão dadas, aquela delicadeza são extremamente importantes para evitar o divórcio.

Concentrem-se no casamento. Depois do nosso relacionamento com Deus, o relacionamento mais importante é com o nosso cônjuge. Antes mesmo dos filhos, dos pais e amigos. Casais que desejam fortalecer-se contra o divórcio precisam encarar o casamento como um relacionamento prioritário.

Procurem aprender a resolver seus conflitos. Um casal que sabe resolver, com equilíbrio, os conflitos que surgem diariamente no casamento têm mais chance de comemorar bodas de ouro ou de diamante. Todos os casamentos têm conflitos. Mas o que é mais importante é saber como os cônjuges resolvem esses conflitos.

Procurem cultivar a comunhão com Deus, a obediência à Sua Palavra e ter Jesus como Senhor. Qual é a causa do divór- cio? “Dureza de coração”. Quando um casal cultiva Deus, obedece a Palavra e tem Jesus como Senhor, há espaço para perdão, tolerân- cia, paciência, amor. Atitudes importantes para manter um coração sensível e não petrificado.Pesquisas realizadas no EUA demonstraram que quando um casal ora e lê a Bíblia juntos, diminuem significativamente a possibilidade de divórcio.

Celebrem o sexo no casamento. Deus criou o sexo para homem e mulher experimentarem toda sua plenitude, prazer e alegria no leito conjugal. Muitos casais cristãos estão enfermos nesta área da relação conjugal. Sexo no casamento é para ser praticado não somente para a procriação, mas para criar uma intimidade profunda e oferecer prazer a ambos.

Procurem ajuda quando não tiverem condições de resolver suas dificuldades. Procurem ajuda de um pastor que tenha autoridade para ministrar nesta área. Procurem ajuda de um conselheiro, de um terapeuta ou de um coaching conjugal comprometido com os valores cristãos do casamento e da família.

Aperfeiçoem a comunicação. Vivendo em um mundo onde a tecnologia nos assusta, mas não sabemos nos comunicar de maneira correta no casamento. Comunicar-se de forma correta dará ao casal uma qualidade de vida conjugal significativa e impedirá que as dificuldades se avolumam criando um terreno fértil para o divórcio crescer.

Juntos pela família,

Gilson Bifano ministeriooikos.org.br (OJB)