Família é projeto de Deus. Ele mesmo disse: “Não é bom que o homem viva só” (Gn 2.18a). Nós somos seres sociais e relacionais. Deus nos criou para os relacionamentos. Uma postura individualista é uma afronta a Deus, ainda mais no seio familiar. Família sugere interação pessoal e relacionamentos. Na família não cabe o “eu” e, sim, o “nós”. O Senhor quem instituiu a família, é nela que somos amados e aprendemos a praticar o amor e o serviço. É na família o lugar onde somos acolhidos, nutrimos afeto, amor, e força para superar as dificuldades do dia a dia. A família é a nossa primeira relação de comunidade, onde precisamos interagir com os pais e irmãos e, assim, aprendemos a nos relacionarmos. A família constituída por Deus é: pai + mãe = filhos, e assim vem os tios, avós e demais ramificações. Mas esse padrão tem sido condenado e atacado nos nossos dias. Há muitas pressões sobre a instituição “família”. A mídia, as universidades e o próprio Estado têm tentado disseminar as novas estruturações familiares, e querem que a população ache normal. Hoje se fala em novos arranjos familiares, onde o conceito de família é relacionado a uma relação homoafetiva, que os filhos não precisam ter necessariamente uma referencial de pai e mãe, podem ter dois pais ou duas mães. Os novos arranjos familiares desprezam a Bíblia e seus ensinos. As novas famílias já sofrem com as novas propostas de sexualidade. As famílias já sofrem com casamentos desajustados e reproduzem conceitos distorcidos sobre família. Há algumas décadas, o projeto das pessoas era constituir família. Para o homem e a mulher, o desejo era se casar e ter filhos com a mulher de sua vida e, a partir do casamento, encontrar a felicidade e conquistar os seus sonhos e planos. A família era a base das pessoas para que pudessem ser felizes e bem-sucedidas. Hoje, esses valores estão sendo deturpados, as propostas de sucesso e felicidade não precisam necessariamente da base familiar. As pessoas negam o conceito de constituir família. Elas querem estabilidade financeira, sucesso profissional, sucesso acadêmico (carreira) e, se der tempo, pensarão na família. Na realidade, essas e tantas outras coisas não satisfazem o nosso vazio interior. Para sermos felizes e nos completarmos, precisamos constituir família. Lute por sua família, pois o sucesso pessoal e a felicidade dependem dela. Lutemos, pois, pela família tradicional, o tipo de família que Deus criou e idealizou.