No mês de agosto tradicionalmente comemoramos o mês do Adolescente e do Jovem Batista, e em especial nesse mês, gostaríamos de compartilhar com vocês o que diz Reggie Joiner, escritor do livro Pense Laranja, sobre a importância de nossos adolescentes e Jovens estarem conectadas a líderes atenciosos e a um bom ciclo de amizades. Um dos fundamentos citados no livro Pense Laranja, trata da combinação de duas influências: a influência da família e a influência da igreja sobre as pessoas. No capítulo 9 especificamente, Reggie Joiner fala que “chega um dia na vida de toda a criança em que ela passa a ligar mais para o que os outros dizem do que para as palavras de seus pais.

Por essa razão é importante começar a colocar bons “técnicos” na vida de nossos filhos desde cedo”. Ele cita um exemplo ocorrido com ele mesmo, quando depois de assistir o jogo de basquete de sua filha, e enchê-la de elogios, na verdade ela estava mesmo preocupada em saber a opinião do técnico de seu time. Ele propõe que façamos uma análise da nossa vida, e diz que provavelmente encontraremos indivíduos que se destacaram ao longo do tempo, devido ao impacto e à influência que tiveram sobre nós. Diz que esse é o poder dos relacionamentos significativos. Segundo o autor, “quando a Igreja adota esse princípio, ela ajuda os pais, suprindo a necessidade que as crianças e os adolescentes têm de contar com mentores adultos para guia-los e encorajá-los na fé. Um dos maiores presentes que a Igreja pode dar às famílias é proporcionar-lhes uma sólida rede de líderes e amigos que possam ajuda-las a vencer”.

O autor diz ainda que o fator predominante na permanência ou não de um jovem na comunidade de fé é o número de adultos que influenciam sua vida espiritual. Ele cita o comentário de Mark Kelly, após sua pesquisa sobre o assunto: “Os adolescentes que tiveram pelo menos um adulto da igreja investindo tempo na vida deles…apresentaram uma tendência maior de continuar na igreja. Dos que permaneceram na igreja, um número maior – 46% contra 28% – afirmou que cinco ou mais adultos haviam dedicado tempo a eles nas esperas pessoal e espiritual” (pg 197). Estamos vivendo um tempo onde estamos repensando o ser igreja, repensando o nosso realizar como igreja, principalmente, a nossa missão como igreja, e temos concluído que nosso maior desafio é fazermos discípulos do Senhor Jesus Cristo. O relato da pesquisa e as características apresentadas por nossos adolescentes, demonstrados por Reggie, mais uma vez comprovam que o caminho que estamos tomando é correto, precisamos investir tempo na vida dos adolescentes e de fato nos preocuparmos com sua vida pessoal espiritual, e assim sermos apoio para os familiares nessa fase da vida.

Autora, Simone Martins Ribeiro Chanan

Siga a CBP!