Três palavras, que juntas, desafiam nossa compreensão do por que nos reunimos como povo de Deus na terra para celebrar a glória dEle e crescer no conhecimento de Jesus Cristo, o Senhor de nossas vidas. A definição de igreja, de longe, já conhecida de todos que dela participam, perde-se na vulgarização do termo quando utilizado e aplicado por qualquer grupo dissidente ou auto-organizado com fins totalmente discordantes do que de fato é o seu propósito: Adorar a Deus. Temos as igrejas “empresas” cujo faturamento está acima de qualquer outro propósito e que por isso vendem até a graça de Deus; temos as igrejas “clubes sociais”, onde o maior número de associados é o que interessa, contanto que paguem as contas dos entretenimentos sociais e emocionais em nome da fé; temos também as igrejas “neos”, onde o líder descontente e frustrado cria seu tipo e oferece dizendo ser a última verdade, conseguindo arrastar muito crentes descomprometidos, sem uma doutrina bíblica sadia. Poderia citar outros tantos adjetivos para o que vem surgindo a cada dia com nome de igreja, mas paro por aqui. O que vem a ser uma Igreja de verdade? É aquela que não é somente chamada ou se denomina igreja, mas sabe que tem e busca cumprir sua missão. A grande missão da igreja é ir por todo mundo pregando o evangelho a toda criatura. Fazer isso como Jesus fez. Fazer isso porque Ele mandou fazer.

Pela falta de compreensão da missão da igreja é que surgiu o termo “missão integral”, porque a missão vivida e deixada por Jesus para a igreja foi integral, alcançando o homem no seu todo. “O Espírito do Senhor está sobre mim, porque ele me ungiu para pregar boas novas aos pobres. Ele me enviou para proclamar liberdade aos presos e recuperação da vista aos cegos, para libertar os oprimidos”. Lucas 4: 18. No passar dos tempos, a perda da consciência cristã fez com que a igreja se desviasse de sua missão. A igreja que cumpre a missão será naturalmente relevante, pois o ser humano natural não tem consciência de missão. As pessoas fora da igreja vivem sem propósito, pois segundo I Coríntios 12: 28. Na igreja Deus pôs tudo no lugar certo.” Em outras palavras é na igreja onde a gente se encontra. É nela que nos tornamos relevantes para o mundo, nela temos a oportunidade de desenvolver os dons e talentos que Deus nos dá. Precisamos de igrejas cujas lideranças estejam dispostas a ser e leva-las a ser agente de transformação da sociedade, gente relevante em igrejas relevantes. Numa sociedade com os mais variados tipos de problemas, tem muito que uma igreja pode fazer para amenizar o sofrimento e curar as pessoas doentes do corpo, alma e espírito. É hora de despertarmos para essa realidade. É hora de a igreja ser relevante na missão que Jesus deu. Teremos igrejas relevantes com crentes relevantes, pois não é a instituição que tem que ser relevante, não é o CNPJ, é o CPF, eu e você. Não adianta criticar a igreja ou a liderança, a crítica deve tornar-se autocrítica. Como igreja, temos que viver e cumprir a missão integral. Como crentes devemos ser agentes de transformação da sociedade, para isso fomos salvos e para isso devemos querer viver e viver muito!

Pr Izaias Querino

Diretor Geral da CBP