A gente se comunica o dia inteiro, é atualizado ou influenciado através dos meios dos comunicação, não há como fugir. Mas, como na maioria das coisas que fazemos no automático, não pensamos a respeito disso. Afinal, o que é comunicação?

Na faculdade de jornalismo a gente aprende, logo no início, algo que é crucial: Há uma grande diferença entre informar e comunicar. Informar acontece de forma unilateral. Ou seja, envolve apenas a pessoa que tem uma informação a dar. Já, comunicar, implica em tornar algo comum. Fazer-se entender e gerar reações no outro. Comunicar pressupõe interação e o saber ouvir.

Mas, a quem nós temos dado ouvidos? Tudo em nossa volta interfere no nosso relacionamento com Deus. Quando você está sentindo-se confuso, ansioso, para quem você eleva os seus pensamentos? Você ora, dialoga com Deus, responde a pergunta do Facebook: “No que você está pensando” ou conversa com alguém que nem sempre está interessado em ouvi-lo, verdadeiramente?

Qual tem sido o tamanho do seu silêncio para com Deus? Sua forma de se relacionar com Ele tem sido melhor a cada dia? Você tem crescido em intimidade com Deus ou já não O busca da mesma maneira de quando O encontrou pela primeira vez? “Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente!” (Ap 3.15).

Não vou ousar dizer que Deus não quer o nosso serviço, pois Ele conta com a gente, não porque Ele não pode fazer algo, mas porque Ele tem prazer em ver os filhos dEle participando de tudo o que Ele tem feito no mundo. Porém, Deus não quer apenas o nosso serviço. Na verdade, essa é a parte mínima que Ele quer de nós. Ele nos quer por inteiro, sem reversas, quer ser nosso amigo, nosso pai. O versículo 15 diz que Ele conhece as nossas obras e, por mais que pareçamos extremamente comprometidos com Deus, Ele sabe se estamos quentes, frios ou mornos.

Deus deseja relacionar- -se conosco. Lembra como era com Adão? Sugiro que leia Gênesis 3.8. Deus ama conversar, dialogar. Ou seja, como citei no início, Ele quer comunicar-se conosco. Ele deseja interagir com os Seus filhos.

Mas, quando estamos ocupados demais com o que o mundo oferece, mesmo que pareça inofensivo, perdemos de viver as surpresas diárias que Deus reserva a nós. Para entender os propósitos de Deus para as nossas vidas e a direção que Ele nos dá, precisamos estar sensíveis a Ele; precisamos conhecê-lo. É impossível conhecer alguém sem relacionamento, que baseia-se, principalmente, no diálogo e no tempo de qualidade. Nós somos os únicos responsáveis pela qualidade do nosso relacionamento com Deus, pois Ele sempre estará lá.

Quais são as suas prioridades? Aquilo no qual gastamos a maior parte do nosso tempo é o que colocamos como primeiro lugar na nossa lista de prioridades. O tempo que gastamos com as coisas é o que vai determinar a posição que elas ocupam em nossas vidas. Tempo é investimento.

Nós só temos uma vida, 24 horas e o presente. O passado já passou, já não nos pertence mais. Serve apenas para aprendermos, crescermos e nos arrependermos. O futuro não pertence a nós também, pertence a Deus, o dono dos nossos dias. Nós não temos a certeza se o amanhã vai existir. Deus nos deu 24 horas. É isso que temos. Dê a Ele as suas 24 horas, e não o tempo que sobra. Não substitua a convivência com Deus por encontros. (PF)

Extraído: OJB