Pesquisadores reconhecem a música como uma espécie de modalidade que desenvolve a mente humana, proporcionando um estado agradável de bem-estar, facilitando a concentração e o desenvolvimento do raciocínio. Com base em pesquisas, as crianças que desenvolvem um trabalho com a música apresentam melhor desempenho na escola e na vida como um todo e geralmente apresentam notas mais elevadas quanto à aptidão escolar.

Há muitos anos, Platão dizia que “a música é um instrumento educacional mais potente do que qualquer outro”. O psicopedagogo, arte-educador e mestre em educação, João Beauclair, (Portal Infantil) afirma que “a música não é só uma questão de interferência na educação da criança, é uma necessidade que deve ter espaço consagrado e rotineiro, por possibilitar a melhoria da sensibilidade, beneficiar os processos de aquisição da leitura e da escrita e auxiliar na melhoria da capacidade de memorização e de raciocínio”.

A música pode acalmar ou agitar bebês e crianças, mas ela vai muito além disso. É bom lembrar que o potencial da inteligência humana é determinado pelos genes de cada pessoa, porém, estímulos são necessários para ativar essa inteligência. A música é uma ótima ferramenta para isso. Experiências sonoras aumentam as conexões entre os neurônios do bebê ou da criança e, de acordo com cientistas de todo o mundo, quanto maior a conexão entre os neurônios, mais brilhante será o ser humano.

Meire Martins: Graduada em música pela EMBAP – Escola de Música e Belas Artes do Paraná no curso de Licenciatura em Música.  Pós-graduada pela EMBAP onde conferiu o título de Especialista em Educação Musical e Canto Coral Infanto Juvenil.  Seu trabalho de conclusão do Curso desenvolveu o tema “Contribuição da Música no Desenvolvimento das Habilidades Motoras e da Linguagem de um Bebê – Um Estudo de Caso”.

por: Meire Martins

Especialista em Educação Musical e Canto Coral Infanto Juvenil