Há um velho ditado que diz “Você já comeu um quilo de sal comigo?”. Esse ditado significa o quanto você conhece alguém, pois, para comer um quilo de sal, que é usado em gramas na preparação da comida, leva- -se um considerado tempo, assim como manter amizades e relacionamentos exige dedicação. Quanto tempo você leva para dizer que um conhecido se torna amigo? E quanto esforço é desprendido para se manter uma amizade saudável?

“Conheçamos o Senhor; esforcemo-nos por conhecê-lo. Tão certo como nasce o sol, ele aparecerá; virá para nós como as chuvas de inverno, como as chuvas de primavera que regam a terra” (Os 6.3). Nesse versículo o profeta chama o povo ao conhecimento de Deus, porém, ele é bem realista quando diz: “Esforcemo-nos por conhecê-lo”. Quanto temos nos esforçado para conhecer a Deus a sermos seus amigos? O esforço é algo que exige decisão, entrega e comprometimento. Um atleta se esforça para ser o melhor na sua modalidade, no trabalho nos esforçamos para termos melhor qualidade de serviço e maior rentabilidade, nos esforçamos com tantas coisas, até quando passamos por tribulações e desafios. Nos esforçamos quando temos um alvo. O conhecer a Cristo tem sido um alvo no nosso cotidiano? Estamos satisfeitos o quanto conhecemos a Cristo?

O profeta fala da fidelidade de Deus em permitir ser achado, “Tão certo como nasce o sol, ele aparecerá; virá para nós como as chuvas de inverno”. Ele compara com efeitos da natureza, pois temos certeza de que o nosso Deus responderá. Deus anseia por ser conhecido, Ele enviou Jesus para termos esse acesso. Vamos sentar e conversar com o Pai, falar como foi o dia, contar as alegrias e tristezas, Ele está atento ao seu falar, então fale.

O esforço em conhecer a Deus é buscar ouvi-lO a cada momento, é andar em Seus caminhos, olhar com Seus olhos e buscar Seu amor. Fazer isso é ter uma vida com Deus, e mesmo que algumas pedras apareçam no cami- nho, com os olhos postos no alvo de a cada dia conhecer mais de Deus, passamos fácil por elas. Ainda é tempo, puxe a cadeira sente com Deus para conversar.

Thiago André da Costa, seminarista da Igreja Batista da Liberdade – RJ (OJB)