Eu estava me lembrando de uma das experiências mais marcantes que tive com meu filho Lucas Gabriel que na época tinha 2 anos de idade.  Fui buscar meu filho na escola, e no caminho até o carro e durante a passagem pelo Supermercado estávamos brincando muito. Quando estávamos nos dirigindo para o carro, fui colocar meu filho em sua cadeirinha no banco de trás, neste momento ele começou a falar para mim “senta aqui Papai” apontando para o banco de trás do carro. Comecei a dar risada e dizer, filho o papai precisa dirigir o carro. E ele continuava insistindo, senta aqui papai, senta aqui pai. Sentei-me no banco do motorista para cumprir minha função de adulto e aquela vozinha gostosa continuava a falar no banco de trás “senta aqui pai, senta aqui pai”. Ao chegar em casa sentei-me ao lado dele e fomos juntos brincar de cavalinho, bola, esconde esconde…


Esta pequena frase do meu filho me fez pensar: Eu preciso estar atento ao meu filho não somente dando ou provendo o que ele precisa (roupa, caronas no carro, computador, um lar confortável, férias), mas sendo o que ele precisa (um amigo, um pai, um companheiro, um educador). Quantas vezes ouvimos dos nossos filhos esta frase (de diferentes formas) “senta aqui pai/ mãe”, mas não podemos atender ou não entendemos este pedido deles, pois estamos fazendo, trabalhando, correndo, vivendo para eles. Quando os filhos vão crescendo a frase muda – vamos andar de bicicleta ou vamos acampar, mas o significado continua o mesmo – senta aqui papai/mamãe. Fique atento as frases e ações do tipo “senta aqui pai, senta aqui mãe”.


Deus te escolheu querido pai, querida mãe como instrumento Dele para gravar uma fé viva e verdadeira no coração da sua criança! Momentos de intimidade como geralmente são os momentos “senta aqui” são oportunidades únicas para transmitir amor, fé e valores ao seu querido filho ou filha. Deixo com você alguns conselhos de como aproveitar estes momentos “senta aqui” com seus filhos.


Você bem provavelmente já percebeu como passa rápido o tempo que temos com nossos filhos, portanto aproveite, diminua o ritmo. Vejo na vida do meu filho Lucas que hoje já tem 6 anos. A cada dia ele me surpreende com coisas novas que está aprendendo. Um pastor chamado Reggie Joiner teve uma ideia muito inteligente. A fim de representar aos pais que aquilo que eles fazem com suas crianças a cada semana de fato importa ele decidiu representar quantas semanas os pais tem com seus filhos até eles chegarem aos 18 anos através de um pote de bola de gudes. Eu tenho 620 semanas com o Lucas até ele completar 18 anos. Faça as contas, quantas semanas você ainda tem com o seu pequeno (a). Aproveite cada semana, cada dia, cada momento.


Diminua o ritmo tornando os momentos juntos mais significativos. Pode ser que diminuir o ritmo no seu caso não tenha nada haver com tempo, reorganização de prioridades, cortar coisas da agenda. Pode ser que diminuir o ritmo signifique aproveitar os momentos que você já tem com seus filhos de forma mais significativa.  Como você tem aproveitado o tempo de levar o seu filho de carro para escola? Como tem aproveitado a hora de coloca-los para dormir? A hora do banho? As refeições? Lembro-me do Pr Paulo Davi da PIB de Curitiba contando a igreja há alguns anos atrás que tornou o almoço de domingo em sua casa, o “almoço do elogio”. Todos à mesa precisam elogiar uns aos outros por algo que aconteceu naquela semana e a noite de segunda feira tornou-se, a “noite das guloseimas”, onde todos colocam seus colchões na sala, veem filmes e comem coisas gostosas.  Isto é tornar momentos significativos e marcantes!


Tornar momentos em família mais significativos, reavaliar a agenda semanal procurando ter mais tempo com seus filhos, diminuir o ritmo do dia a dia são formas práticas de dizer: eu te amo meu filho. Acredito que o maior presente que posso dar as nossas famílias neste mês especial é te ajudar a perceber papai e mamãe estas frases cheias de carinho e expectativa dos seus filhos “senta aqui papai, senta aqui mamãe” e faze-lo pensar em como responder a estes pedidos de atenção com amor, fé e sabedoria. Deus te abençoe e te ajude a perceber e aproveitar os momentos “senta aqui papai, senta aqui mamãe”!



Daniel Alves Machado