Iremos iniciar hoje uma jornada rumo ao Centenário de nossa Convenção com uma série de artigos intitulada: Vultos de nossa história. O propósito é apresentar algumas personagens que foram protagonistas da história de nossa Convenção. Iniciaremos com Arthur Beriah Deter, por entender ser ele a figura central na organização e desenvolvimento da vida convencional dos Batistas Paranaense.

Arthur Beriah Deter

Nascido em 25 de outubro de 1868, Condado de Dade, no estado de Missouri, EUA, A. B. Deter, assim conhecido no meio batista, tornou um dos líderes mais importantes no estabelecimento e expansão da obra Batista no Paraná. No dia dezenove de junho de 1901, com 33 anos, casou-se com May Seryngeour Deter, em Rochester, New York, com quem teve os filhos Edith, Dwght, Arthur, Doris, Russel e Virginia. No mesmo ano foi nomeado missionário batista, pela Junta de Richmond, de Virginia, Estados Unidos, vindo para o Brasil onde trabalhou incessantemente na obra do mestre, inicialmente no Estado do Rio de janeiro na administração da Casa Publicadora Batista e do Jornal Batista. Neste período organizou a Primeira Igreja Batista de Campo Grande, RJ e foi um dos fundadores da Convenção Batista Brasileira em 1907. Contribuiu com a tradução de quatro hinos que compõe o Cantor Cristão. No estado de São Paulo foi responsável pela construção do templo da Primeira Igreja Batista de São Paulo e Capelão Militar na Revolução de 30. Mas, foi no estado do Paraná onde deu a sua maior contribuição.

Nomeado pela Junta de Missões Nacionais com Secretário-correspondente (Executivo da Junta) em 1910, foi com ele que Samuel Antônio Pires de Mello entrou em entendimento no sentido de entregar aos Batistas a Igreja de Paranaguá. Ele comissionou o Dr. W. B. Bagby para cuidar dos detalhes do recebimento, o qual, após visita à igreja, concluiu que a Igreja e o seu Pastor eram batistas em suas doutrinas fundamentais, sendo recebida no rol da Convençã Batista Brasileira em 1911, assim tornando-se a Primeira Igreja Evangélica Batista de Paranaguá, a mãe das igrejas Batistas do Paraná. No ano de 1911, no mês de outubro esteve em Paranaguá realizando batismos e Casamento, seguindo para a cidade de Antonina organizou, no dia 11 a congregação Batista em Antonina em Igreja.

Em 1916, Arthur Beriah Deter foi reeleito como secretário-correspondente, da Junta de Missões Nacionais e, em 1918, chegou ao Paraná com a responsabilidade de organizar o campo paranaense.

Fixou residência em Curitiba e dali pode se deslocar pelos quatro cantos do estado com a obra do evangelho, mas focando especialmente no litoral, onde participou da organização de muitas outras igrejas, fazendo do litoral o carro chefe da evangelização do nosso estado e do sul de São Paulo. Por várias vezes foi pastor interino das igrejas no litoral, onde cultivou a amizade a admiração do povo da beira mar. Com a cooperação dos batistas letos de Santa Catarina organizou a Convenção Batista Paraná-Santa Catarina em 1919. Criou o Jornal “O Batista”, hoje sob o título de “O Batista Paranaense”, pois sabia do valor de uma boa imprensa.

Entusiasta da educação tinha como lema “Em a cada igreja uma escola”, criando assim muitas escolas anexas aos templos Batistas. Só no litoral, somou-se um total de oito escolas e, em Curitiba e Ponta Grossa também foram criados os colégios batistas. Investiu no fortalecimento doutrinário das igrejas com os chamados institutos e por fim criou a Escola Batista de Treinamento, em Curitiba, atual Faculdades Batista do Paraná. Após a sua aposentadoria em 1940, retornou aos Estados Unidos.


Amou o Paraná como poucos e investiu seus dons, talentos e vida no desenvolvimento e na expansão do reino de Deus em solo paranaense.
Faleceu em 2 de outubro de 1945, Dallas, Texas.


Por, Pr. Nivaldo Cavallari
Colunista voluntário CBP

Fontes:
site www.usinadeletras.com.br ou www.mariomartins.com.br 
http://www.hymntime.com/tch/bio/d/e/t/deter_ab.htm
ASSUNPÇÃO, Xavier. Jornal O Batista, Curitiba, Paraná. Ano XIX, nº 183, Pagina 1.CAVALLARI, Nivaldo Aparecido. Centenário de fé – A História da Primeira Igreja Batista de Paranaguá/Paranaguá/PR: Edição – A.D Santos Editora, 2003.196p.

Siga a CBP!