“Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e o Deus de toda a consolação; que nos consola em toda a nossa tribulação, para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, com a consolação com que nós mesmos somos consolados por Deus” (II Co 1.3-4).

Servindo ao Senhor há 12 anos como pastor e conversando com muitos obreiros, infelizmente posso afirmar que os pastores desta época enfrentam o pior momento das últimas décadas. Creio que a última geração de servos que tenha vivido um momento tão difícil igual a esse tenha sido a dos pastores que estiveram no período da Segunda Guerra Mundial.

A não realização das atividades presenciais em nossas Igrejas têm sido um ponto pequeno diante do número de perdas que nossas Comunidades têm sofrido. Nunca tivemos em nosso meio tantas pessoas enlutadas, famílias diminuídas e carentes de nossas orações, conselhos e apoio. E nós, pastores, também sofremos estas perdas, pois também temos perdido pessoas muito próximas a nós. E a dor da perda é a pior que existe; é cruel e pesada para qualquer ser humano. O pastor sofre a dor de seu rebanho e a sua própria dor.

Também não posso deixar de destacar e, graças a Deus por isso, que nesse momento de dor e angústia o pastor sabe exatamente onde encontrar consolo. Esse é o momento do pregador correr para os braços e abraço do Deus que ele conhece e proclama. E Deus há de confortar o coração de seu servo, como sempre fez. E é exatamente isso que o apóstolo Paulo nos mostra em suas palavras: temos um Deus que nos consola em toda a nossa tribulação.

E o Deus que nos consola, nos fortalece e nos coloca de pé, para que continuemos a consolar o Seu povo. Pois esta tem sido a nossa grande missão hoje. O pastor, enquanto é usado por Deus para cuidar do Seu povo, recebe também o cuidado do Senhor.

A minha oração, meu caro colega, é que o nosso Pai celestial abençoe ricamente a sua vida, o seu lar e o seu ministério. E que você continue encontrando em Jesus força e poder para prosseguir sua caminhada e servir ao Senhor.

Edson Landi, pastor, colaborador de OJB

Siga a CBP!