Pastor não é alguém escolhido pelos homens para liderar uma Igreja por simpatia ou afinidade, mas, sim, pelo Senhor, com a busca incessante destes “segundo o coração de Deus para que apascente com ciência e inteligência” (Jeremias 3.15). Quando tudo começa de forma equivocada, não pode come- çar nem terminar bem. Pastor não é alguém sobrenatural, mas humano. Não é um super-homem, mas um ser humano comum, escolhido por Deus, para obra ministerial no Reino Dele com suas qualidades e defeitos, buscando sempre “a unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo” (Efésios 4.13).

Pastor não é um ditador que usa o fato de ser “ministro de Deus” para sobrepor suas vontades, em detrimen- to dos debates com estes ou aqueles irmãos a respeito dos mais variados temas internos e externos da Igreja, pois “Bendizei ao Senhor, todos os seus exércitos, vós, ministros seus, que fazeis a sua vontade” (Sl 103.21). Pastor não pode ser alguém que ao invés de ajuntar, “espalha suas ovelhas” (Cf. Jeremias 23.1), deixando-as ao relento ou, ainda, bem pior, escolhe todas aquelas a quem dará mais aten-ção por serem mais chegadas ou pôr o apoiarem em tudo no ministério.

Pastor não é uma pessoa que bate no peito e se acha o “tal”, mas aquele humilde servo a quem o Senhor escolheu e capacitou para trabalhar mais especificamente em sua obra, pois “Ele designou alguns para apóstolos, ou- tros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres (Efésios 4.11). Pastor não é alguém que inicia seu ministério ou o mantém como se este fosse exclusivamente dele, mas sabe colocar-se para Deus, entrar e sair no momento certo para honra e glória Dele, pois não “se apascentam a si mesmos” (Ezequiel 34.8), mas as ovelhas dos pastos do Senhor.

Pastor não é o “dono da Igreja”, fazendo com que todos o obedeçam a base de suas chicotadas, mas um fiel e obediente cristão que somente realiza o que está na Palavra de Deus e passa distante de suas próprias vontades em favor do “dono” e “Cristo é a cabeça da Igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo” (Efésios 5.23). E, finalmente, pastor É alguém que deseja o episcopado e “excelente obra deseja” (I Timóteo 3.1) e precisa ter e governar bem a sua família, pois senão como poderá ter “cuidado da igreja de Deus?” (v. 5) e, inegociável, “Guardando o mistério da fé numa consciência pura” (v. 9). Parabéns pelo Dia do pastor! Deus os abençoe sobremaneira!

Rogério Araújo (Rofa) | Colaborador de OJB

Siga a CBP!